--> Me, myself and I...: Cartola.

segunda-feira, março 13, 2006

Cartola.

Três ou quatro escadas. Cinco ou seis apertos no coração. Quatrocentos e dois suspiros. Duas mil músicas sem fim. Cinquenta e quatro beijos sem lábios, sem lingua, sem calor. Vinte e nove fechares de olhos. Um copo de água, sem água. Dois abraços que ficaram no chão. Na mão, um copo transparente cheio de querer-te. Uma pastilha elástica sem sabor. Três noites sem lua. Um perfume no peito. Dois pares e meio de asas. Um piano sem sabor. Quinhentas e cinquenta e quatro palavras sem porquê. Um copo de vinho, com vinho pela metade. Dóis lençóis aquecidos. Uma voz que chora. Eu, sentada. Duas caixas-calendário sem chocolates. Duas cerejas. Novecentos arrepios. Preto. Branco. Uma cartola que voa. Uma cartola que sonha. Uma cartola que cai. Uma cartola que sente. Três ou quatro escadas.Cinco ou seis apertos no coração.Eu não sou uma cartola, nem como uma. Quatrocentos e dois suspiros.Duas mil músicas sem fim. Ou serei? Cinquenta e quatro beijos...

9 Comments:

Anonymous Rui |eNgEl| said...

lá vai uma cartola, levada pelo vento, a ver o mundo passar, sem saber onde ela vai aterrar e onde o mundo vai parar... pelo caminho vai contando o k vê... um mundo incompleto, onde até coisas simples faltam... será que as vais encontrar?

7:37 da tarde  
Blogger Kass said...

e eu conheço esta cartola e estas escadas ;)

4:29 da tarde  
Anonymous Miau_Elfico said...

Ou porque não uma eternidade de eternos momentos ou uma união completa de tudo o que enumeraste e de tudo o mais que ficou por dizer? ^^

Palavras mágicas estas que li ^^

Beijinho

4:39 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

"Um dia, entre a memória e o esquecimento
Colhi aquele chapéu envelhecido
Soltei o pó antigo entregue ao vento
Lembrando aquele sorriso prometido

As abas tinham vincos mal traçados
Marcados pelas penas ressequidas
As curvas eram restos enfeitados
De um corte de paixões então vividas"


Neia

5:43 da tarde  
Blogger Gonçalo R. said...

muito bonito.

12:56 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Palavras eu t escrevo...sem palavras t deixo...e m deixas...palavras para q?Paira no ar a confusão,o sonho,o surrealismo d uma forma d ser...a tua beleza materializada nos poemas q escreves ond 2 mundos s abraçam e chocam...este em q vivemos e o teu interior...
susana

1:25 da tarde  
Blogger Joaoputo said...

quinhentas e vinte e três cartolas, dois copos de leite e o resto em pessoas!dois beijos para ti e estes tu aceitas porque não os controlas! =P

9:16 da tarde  
Anonymous k said...

por onde andas?

9:43 da tarde  
Blogger Joana Oliveira said...

para mim es uma Cartola :)

5:27 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home